O que é doença crônica?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece as seguintes doenças como crônicas: cardiovasculares, respiratórias, diabetes, diversos tipos de câncer entre outras que compartilham muitos fatores de risco.1

Os principais fatores de risco para as doenças crônicas estão relacionados ao tabagismo e o etilismo, à alimentação não saudável, sedentarismo (responsáveis, em grande parte, pelos elevados números de excesso de peso, pela elevada prevalência de hipertensão arterial e pelo colesterol alto). 3  

Conheça as principais doenças crônicas:

Diabetes

É uma doença crônica, resultante dos defeitos da produção ou ação da insulina, hormônio que regula a glicose no sangue, responsável por gerar energia ao organismo.4

Entre os sintomas do Diabetes estão: a vontade excessiva de urinar, sede excessiva, fome constante, alterações na visão, fadiga e problemas renais.5

Asma

É uma doença respiratória crônica das vias aéreas, muito comum em adultos e crianças.6 Pacientes asmáticos apresentam ampla variação dos sintomas e da função pulmonar, tais como: sensação de sufoco, tosse, dispneia e assovio durante a respiração, os quais estão relacionados com a limitação da passagem de ar nas vias aéreas.7,8

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica

É caracterizada pela limitação do fluxo de ar, progressiva e associada a uma resposta inflamatória anormal dos pulmões, causada após a inalação de partículas ou gases nocivos. Os principais fatores de risco são: fumaça do cigarro, poeiras ocupacionais, irritantes químicos, poluição ambiental, baixa condição socioeconômica e infecções respiratórias graves na infância. O processo inflamatório crônico também pode causar bronquite crônica e enfisema pulmonar. Os sintomas incluem tosse crônica, produção de catarro na garganta e dispneia causada pelo esforço.9

Acidente Vascular Cerebral (AVC)

O AVC é a diminuição ou completa interrupção (bloqueio) da circulação do sangue ao cérebro.10 As causas mais comuns de AVC são os trombos (coagulação de sangue no interior do vaso sanguíneo), bloqueio da artéria, hemorragia secundária ao aneurisma ou anormalidades do desenvolvimento. Outras causas menos comuns são os tumores, os abcessos, os processos inflamatórios e os traumatismos.11

Hipertensão Arterial

É caracterizada por níveis elevados (≥ 140 e/ou 90 mmHg) de pressão arterial (PA). Associa-se frequentemente a alterações funcionais e/ou estruturais do coração, encéfalo, rins, vasos sanguíneos e a alterações metabólicas, com consequente aumento do risco de eventos cardiovasculares fatais e não fatais.12

Câncer

O Câncer é o nome dado ao conjunto de doenças que têm em comum o crescimento desordenado das células que invadem os tecidos e órgãos, podendo se espalhar para outras partes do corpo.13 Qualquer célula do corpo pode se transformar e originar um tumor maligno que se origina nos genes de uma única célula, tornando-se capaz de se reproduzir, formando uma massa tumoral no local, caracterizando o Câncer.14

Obesidade

A Obesidade é uma doença crônica caracterizada como um processo de acúmulo excessivo, ou anormal de gordura corporal, com implicações adversas e potencialmente significativas à manutenção da saúde.15 Sua causa é multifatorial e depende da interação de fatores genéticos, metabólicos, sociais, comportamentais e culturais.16 Só são consideradas obesas, as pessoas que possuem o IMC acima de 30 kg/m².17

Referências

  1. World Health Organization. Preventing chronic diseases a vital investment. Genebra; 2005.

  2. World Health Organization. Global status report on noncommunicable diseases. Genebra; 2014.

  3. Malta D, et al. Prevalência de fatores de risco e proteção de doenças crônicas não transmissíveis em adolescentes: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), Brasil, 2009. Ciênc. saúde coletiva. 2010;15(2):3009-3019.

  4. The Expert Committee on the diagnosis and classification of diabetes mellitus. Report of the Expert Committee on the diagnosis and classification of diabetes mellitus. Diabetes Care. 1997;20:1183-97.

  5. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde (BR). Departamento de Atenção Básica. Diabetes Mellitus / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2006;56.

  6. Bousquet J, et al. The public health implications of asthma. Bulletin of the World Health Organization. 2005;83:548-554.

  7. Souza-Machado A, et al. Má percepção da limitação aos fluxos aéreos em pacientes com asma moderada e grave. J Pneumol. 2001;27:185-192.

  8. Souza-Machado A, et al. Ausência de correlação entre a ausculta de sibilos e a gravidade da asma. Ver bras. alerg. imunopatol. 2001;24:38-45.

  9. Consenso Brasileiro sobre Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica II - DPOC. J Bras Pneumol. 2004;30(Supl 5):S1-42.

  10. Barbosa M, et al. Prevalence of systemic arterial hypertension in carrier patients of cerebrovascular accidents encephalic attended at the emergency room in a tertiary public hospital. Rev Bras Clin Med. 2009;7(6):357-60.

  11. Freitas G, et al. Neuroproteção no Acidente Vascular Cerebral; 2005.

  12. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Sociedade Brasileira de Cardiologia / Sociedade Brasileira de Hipertensão / Sociedade Brasileira de Nefrologia. Arq. Bras. Cardiol. 2010;95(1):1-51.

  13. Ministério da Saúde. Falando sobre o Câncer e seus fatores de risco. Rio de Janeiro; 1996.

  14. Yamagushi, N. O Câncer na visão da oncologia. In M. M. Carvalho (Org.), Introdução à psiconcologia. Campinas, SP: Psy; 1994.

  15. World Health Organization. Obesity and overweight; 2010.

  16. Kolotkin RL, et al. Development of a brief measure to assess quality of life in obesity. Obes. Res. 2001;9(2):102-11.

  17. Mensorio M, Junior A. Obesity and coping strategies: what is highlighted by literature? Psic, Saúde & Doenças. 2016;17(3):468-482.

 

Leia mais
Fechar
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em um ano, 38 das 56 milhões de mortes foram ocasionadas por doenças crônicas. ²