O período de gestação é caracterizado por uma intensa mudança nos mecanismos de controle da glicemia, devido ao consumo de glicose do embrião ou feto. Por consequência, favorece o surgimento do Diabetes Gestacional. 1,2

Diagnóstico

O Diabetes Gestacional pode ocorrer em qualquer mulher, durante o segundo ou terceiro trimestre de gestação. Não é comum a presença de sintomas. 2,3

Serão diagnosticadas com Diabetes Gestacional, mulheres que apresentarem¹:

  • Glicemia em jejum ≥ 126 mg/dL;
  • 2 horas após o teste de tolerância oral à glicose 75g ≥ 200 mg/dl.

Principais fatores de risco4

  • Idade superior a 25 anos;
  • Índice de massa corporal, (IMC) ≥ 30, com gordura localizada central excessiva;
  • Histórico familiar de Diabetes em parente de primeiro grau;
  • Baixa estatura ≤ 1,51m.

O tratamento do Diabetes Gestacional5

Para o tratamento, é essencial monitorar e controlar o açúcar no sangue, mantendo assim o bebê saudável e evitando complicações durante a gravidez e o parto.

Dieta5, 6

Algumas modificações na dieta deverão ser realizadas. O consumo de alimentos com índice glicêmico baixo é indicado. Eles ajudam a manter os níveis de açúcar no sangue estáveis, pois liberam esse açúcar lentamente. Podem ser encontrados em alguns alimentos, como:

  • Pães e cereais integrais;
  • Cogumelo;
  • Pimentão vermelho;
  • Berinjela;
  • Ervilha;
  • Cenoura;
  • Maçã;
  • Laranja;
  • Grapefruit;
  • Pêssego;
  • Pera;
  • Feijão;
  • Lentilha;
  • Grão-de-bico.

O acompanhamento e orientação de um nutricionista é essencial, pois ele fará o cálculo calórico, de acordo com o IMC, nível de atividade física e crescimento fetal. 

Exercícios físicos5

As atividades físicas regulares desempenham um papel importante no bem-estar da gestante, pois auxiliam no controle dos níveis de açúcar no sangue. Na ausência de contraindicações, recomenda-se a prática de atividade física por pelo menos 30 minutos, evitando-se exercícios de alto risco. Converse sempre com seu médico sobre a melhor orientação para essa atividade.

Medicação5

Se dieta e exercícios físicos não forem suficientes, a paciente poderá receber a recomendação do seu profissional de saúde sobre o uso de insulina para diminuir o açúcar no sangue.

Consulte um profissional da saúde para individualização no tratamento.  Este é um material informativo e não substitui a recomendação de um profissional da saúde

Referências

  1. Organização Pan-Americana da Saúde Ministério da Saúde. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. Sociedade Brasileira de Diabetes. Rastreamento e diagnóstico de Diabetes Mellitus gestacional no Brasil. Brasília, 2017.
  2. Maganha CA, Vanni DGBS, Bernardini MA, Zugaib M. Tratamento do Diabetes Mellitus gestacional. Rev Assoc Med Bras. 2003;49(3):330-334.
  3. Zajdenverg L. Diabetes Gestacional [Acesso em 17 de janeiro de 2020]. Sociedade Brasileira de Diabetes. Disponível em: https://www.diabetes.org.br/publico/diabetes-gestacional
  4. Oliveira C, Melo S, Paiva I, Wanderley A. Diabetes Gestacional Revisitada: Aspectos Bioquímicos e Fisiopatológicos. Revista Humano Ser - UNIFACEX. 2014;1(1):60-73.
  5. Abi-Abib RC, et al. Diabetes na Gestação. Brazilian Journal of Health and Biomedical Sciences. 2014;13(3):41-48.
  6. Associação Nacional de Atenção ao Diabetes [Acesso em 27 de março de 2020]. Qual é a melhor dieta para Diabetes Gestacional? Disponível em: https://www.anad.org.br/qual-e-a-melhor-dieta-para-diabetes-gestacional/

NHS000113

Leia mais
Fechar

 

A incidência de Diabetes Gestacional é variável, sendo estimada em 3% a 8% das gestantes.2