A Diabetes resulta de falhas na liberação e/ou ação da insulina, hormônio que regula a glicose no sangue. 1

O que é Diabetes?

A Diabetes é um grupo de doenças metabólicas caracterizadas por alta taxa de glicose (açúcar) no sangue, associadas a complicações, disfunções e insuficiência de vários órgãos, especialmente olhos, rins, nervos, cérebro, coração e vasos sanguíneos. 1

Por que algumas pessoas têm Diabetes?

Essas doenças podem acontecer por destruição das células do pâncreas (órgão produtor de insulina), distúrbios da secreção (liberação), resistência à ação da insulina, entre outros. 1

Principais tipos de Diabetes:

Diabetes Mellitus tipo 1 (DM1)

A Diabetes tipo 1 (DM1) é uma doença autoimune no qual o pâncreas produz pouca ou nenhuma quantidade de insulina, podendo gerar graves desequilíbrios no organismo 1,3

Esse tipo é mais frequente em crianças e adolescentes, entretanto, pode manifestar-se também em adultos, geralmente de forma mais lenta.3

Sintomas da Diabetes tipo 1:4

  • Fome frequente;
  • Sede constante;
  • Vontade de urinar diversas vezes ao dia;
  • Perda de peso;
  • Fraqueza;
  • Fadiga;
  • Mudanças de humor;
  • Náusea e vômito.

 Como é feito o diagnóstico?3

O diagnóstico da Diabetes tipo 1 é feito por meio dos seguintes exames:

  • Glicemia de jejum;
  • Hemoglobina glicada;
  • Teste oral de tolerância à glicose.

Tratamentos para a Diabetes tipo 1

Pacientes com esse tipo de Diabetes necessariamente dependem da aplicação diária de doses de insulina. 3   

Diabetes tipo 2

A Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) é caracterizada por deficiência de insulina, na qual o corpo não produz quantidade suficiente ou não utiliza adequadamente a insulina produzida.1,4 Esse tipo de Diabetes ocorre com maior frequência em pessoas com mais de 40 anos.5

Entre os fatores de risco para a DM2, estão: sobrepesosedentarismotriglicerídeos elevadoshipertensão e hábitos alimentares inadequados. 4

Sintomas da Diabetes tipo 2: 4

  • Fome frequente;
  • Sede constante;
  • Formigamento nos pés e mãos;
  • Vontade de urinar diversas vezes;
  • Infecções frequentes na bexiga, rins, pele e infecções de pele;
  • Feridas que demoram a cicatrizar;
  • Visão embaçada.

Como é feito o diagnóstico? 3

O diagnóstico da Diabetes tipo 2 é feito por meio dos seguintes exames:

  • Glicemia de jejum;
  • Hemoglobina glicada;
  • Teste oral de tolerância à glicose.

Tratamento para a Diabetes tipo 2

O tratamento tem como meta a normalização da quantidade de glicose no sangue, por meio do uso de medicamentos antidiabéticos orais e mudanças no estilo de vida, além da possibilidade de incluir também o uso de insulina.3

Diabetes e Atividade física

A prática regular de atividade física é recomendada a todos os indivíduos, e é um dos pilares para o tratamento do Diabetes. Entre os efeitos benéficos, estão: a melhora na produção de energia para o funcionamento das células, redução na necessidade de medicamentos usados para diminuir a quantidade de açúcar no sangue, promoção do emagrecimento nos indivíduos obesos, diminuição dos riscos de doença cardiovascular e melhora na qualidade de vida.
Qualquer atividade física é indicada sob a orientação de um educador físico e deve ser recomendada e acompanhada por um profissional da saúde. 1,6

Conclusão

Sendo a Diabetes uma doença em que o tratamento envolve mudanças de hábitos alimentares, atividade física e uso de medicamentos, a aprendizagem e autoconhecimento são necessários para um bom resultado.7

Consulte um profissional da saúde para individualização no tratamento.  Este é um material informativo e não substitui a recomendação de um profissional da saúde.

Referências

  1. Ministério da Saúde. Diabetes Mellitus. Cadernos de Atenção Básica-n. º 16. Brasília; 2006. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diabetes_mellitus.PDF
  2. Fiocruz [Home page na internet]. Taxa de incidência de Diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos[ Acesso em 11 de setembro de 2019]. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/noticia/taxa-de-incidencia-de-diabetes-cresceu-618-nos-ultimos-10-anos
  3. Oliveira JEP, Vencio S. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes: 2013-2014. São Paulo: AC Farmacêutica; 2014.
  4. Ministério da saúde [Home page na internet]. Diabetes (Diabetes Mellitus): Sintomas, Causas e Tratamentos [Acesso em 11 de setembro de 2019.  Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/diabetes
  5. Guyton AC, Hall J E. Insulina, glucagon e Diabetes Mellitus. Tratado de fisiologia médica. 10. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan;2002. p. 827-840.
  6. De Angelis K, da Pureza DY, Flores LJ, Rodrigues B, Melo KF, Schaan BD, Irigoyen MC. Physiologicaleffectsofexercise training in patientswithtype 1 diabetes. Arq Bras Endocrinol Metabol 2006; 50(6):1005-1013.
  7. Orozco Lívia Barqueta, Alves Sergio Henrique de Souza. Diferenças do autocuidado entre pacientes com Diabetes Mellitus tipo 1 e 2. Psic., Saúde & Doenças  [Internet]. 2017  Abr [citado  2019  Set  11] ;  18( 1 ): 234-247. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862017000100019&lng=pt.  http://dx.doi.org/10.15309/17psd180119.

NHSDIG381019

Leia mais
Fechar