Perda de massa muscular no idoso

A população idosa no Brasil está crescendo. Estima-se que até 2025 haverá um aumento de mais de 33 milhões de idosos, se tornando o sexto país com maior percentual populacional de idosos no mundo.1,2

Com o passar dos anos, alterações significativas acontecem na composição corporal. Há um aumento expressivo na gordura corporal, especialmente com o acúmulo de depósitos de gordura na região do abdômen, e uma diminuição da massa magra, que faz com que o idoso perca força e músculo. Essa perda muscular decorrente do envelhecimento é chamada de “sarcopenia”.3

CAUSAS DA SARCOPENIA

O termo sarcopenia deriva do grego e significa "pobreza de carne".4Seu desenvolvimento está ligado à inatividade física, diminuição de hormônios e diminuição da ingestão de proteínas durante o envelhecimento. 5

CONSEQUÊNCIAS

A diminuição da força e da potência do músculo pode influenciar na autonomia, no bem-estar e na qualidade de vida dos idosos.7 Isso porque a sarcopenia pode causar a “síndrome da fragilidade”, que tem como indicadores6:

  • Incapacidade e dependência;  
  • Perda de peso recente;
  • Perda de massa magra;
  • Fadiga;
  • Quedas frequentes;
  • Fraqueza muscular;
  • Hospitalizações;
  • Morte.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

Para fazer o diagnóstico, diversos exames podem ser feitos, como: ressonância magnética, tomografia computadorizada, bioimpedância, ultrassonografia, densitometria óssea corporal total e avaliações antropométricas. 8

O sedentarismo é um fator de risco para a sarcopenia em idosos. Dentre as formas de tratamento para sarcopenia estão a prática de exercícios físicos (que ameniza os efeitos catabólicos da inatividade), uma  nutrição adequada e a reposição hormonal.9

SUPLEMENTAÇÃO NUTRICIONAL

Com o passar dos anos, a digestão e absorção dos nutrientes sofrem prejuízos que são atribuídos ao processo natural do envelhecimento, o que pode comprometer o estado de saúde e a necessidade nutricional do idoso.10

Recomenda-se: *

  • Cálcio 11
    Mulheres

    A partir dos 51 anos: 1.200 mg
    Homens
    A partir dos 70 anos: 1.000 mg a 1.200 mg

 

  • Vitamina D 11
    Mulheres e Homens
  • 5mcg na forma de colecalciferol

 

  • Proteínas 12

Mulheres e Homens

Idosos saudáveis

a 1.2g/kg de peso/dia

*para idosos saudáveis

Atingir essas necessidades por meio da alimentação nem sempre é possível e, é nesse ponto que os suplementos nutricionais podem ser aliados importantes. A escolha do suplemento nutricional mais adequado levará em conta diversos fatores que somente o profissional da saúde é capaz de avaliar. 13

Consulte um profissional da saúde para informações adicionais.

Referências bibliográficas

  1. Parahyba M, Simões C. A prevalência de incapacidade funcional em idosos no Brasil. Ciênc saúde coletiva. 2006;11(4):967-974.
  2. Freitas E. Tratado de Geriatria e Gerontologia. 2. edição. Rio de Janeiro. Guanabara-Koogan, 2006.
  3. Guccione A. Fisioterapia geriátrica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 2000
  4. Rosenberg IH. Sarcopenia: origins and clinical relevance. J Nutr. 1997;127:990S-1S.
  5.  Rosenberg IH. Sarcopenia: origins and clinical relevance. J Nutr. 1997;127:990S-1S.
  6. Leite L, Resende T, Nogueira G, Cruz I, Schneider R, Gottlieb M. Envelhecimento, estresse oxidativo e sarcopenia: uma abordagem sistêmica. Rev. bras. geriatr. gerontol. 2012;  15( 2 ): 365-380.
  7. Pícoli T, Figueiredo L. Sarcopenia e envelhecimento. Fisioter. Mov. 2011;24(3):455-462.
  8. Silva T, Frisoli J, Pinheiro M, Szejnfeld V. Sarcopenia associada ao envelhecimento: aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Rev Bras Reumatol [Review] 2006; 46(6):391–7.
  9. Martinez B, Camelier FWR, Camelier AS. Sarcopenia em idosos (um estudo de revisão). Revista Pesquisa em Fisioterapia. 2014;4(1):62-70.
  10. Campos M, Monteiro J, Ornelas A. Fatores que afetam o consumo alimentar e a nutrição do idoso. Rev. Nutr. 2000;13:157-165.
  11. Anvisa. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC mº269, de 22 de setembro de 2005.
  12. Bauer J et al. Evidence-based recommendations for optimal dietary protein intake in older people: a position paper from the PROT-AGE Study Group. J Am Med Dir Assoc. 2013;14(8):542-59.
  13. Tommaso ABG. Revisão científica: Orientações Nutricionais práticas e o desafio da suplementação nutricional para pacientes com mais de 50 anos. Nestlé Health Science. São Paulo. 2019.

NHSDIG260919

Leia mais
Fechar
A sarcopenia também pode estar associada a uma série de disfunções no idoso, como é o caso da osteoporose, resistência à insulina, obesidade e osteoartrite, além de causar outras complicações com o avanço da idade.6