Ativar o conteúdo para profissionais
DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL

Problemas intestinais recorrentes, incluindo diarreia, dores e cólicas abdominais, perda de apetite e perda de peso, febre e fadiga podem ser indicativos de doença inflamatória intestinal.

Doenças intestinais podem, de fato, causar limitações ao estilo de vida ativo. Não deve ser confundida com a síndrome do intestino irritável (SII), que é menos grave. Na doença inflamatória intestinal (DII), por outro lado, o trato gastrointestinal (TGI) apresenta inflamação crônica. Indivíduos com DII podem sofrer de sintomas episódicos ou persistentes que dificultam a realização das atividades cotidianas. As formas mais comuns de DII são a doença de Crohn e a colite ulcerativa.

A prevalência da DII está aumentando, afetando cerca de 1,5 milhões de pessoas nos Estados Unidos e 2,2 milhões na Europa. A causa da DII não é conhecida, mas pode haver envolvimento da predisposição genética, do sistema imunológico e do meio- ambiente. Os sintomas de DII podem ser afetados pela dieta e estresse, de modo que mudanças nutricionais e no estilo de vida podem ajudar. Na Nestlé Health Science, dedicamos uma parte significativa dos nossos esforços de pesquisa às terapias nutricionais para auxiliar distúrbios gastrointestinais. Assim, nosso objetivo é ajudar os pacientes a controlar melhor sua condição clínica.

 

Os pacientes com DII podem ter consciência de que determinados alimentos agravam os sintomas. Comumente, os sintomas podem ser agravados por laticínios, alimentos gordurosos, alimentos condimentados, álcool, cafeína, e mesmo excesso de fibra. Uma vez que a DII pode causar restrições ao TGI, alimentos de fácil digestão são importantes. Seguir as instruções nutricionais para qualquer medicação também é fundamental, assim como interações medicamento-alimento que podem afetar os sintomas. É possível que ocorra a perda de peso indesejado, especialmente quando os sintomas se agravam, os pacientes devem certificar-se de ingerir a quantidade adequada de nutrientes e líquidos, por meio de refeições menores e mais frequentes, bem como fazer uso de alimentação enteral (oral/sonda) ou suplementos nutricionais, se necessário. 1,2

 

A Nestlé Health Science está ativamente envolvida na pesquisa e desenvolvimento de Soluções Nutricionais para auxiliar nas situações clínicas, a fim de melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

 

Consulte um profissional de saúde para informações adicionais.

 

Referências:

  1. http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/inflammatory-bowel-disease/basics/definition/con-20034908 Acessado em Dezembro de 2014
  2. Loftus EV Jr. Clinical epidemiology of inflammatory bowel disease: Incidence, prevalence, and environmental influences. Gastroenterology. 2004 May;126(6):1504-17 Acessado em Dezembro de 2014

*A lista de sintomas não está completa; os sintomas podem variar de acordo com o paciente.

Leia mais
Fechar

Várias causas potenciais podem ocasionar o reaparecimento de sintomas intestinais inflamatórios

Os gatilhos incluem o estresse, tabagismo, diversos alimentos, não tomar os medicamentos e outros tipos de medicamentos.

http://www.ucsfhealth.org/education/nutrition_tips_for_inflammatory_bowel_disease/

Acessado em Dezembro de 2014

Preste atenção ao que você come

Primeiramente, a DII não é causada pelos alimentos, mas eles podem piorar os sintomas. Alimentos diferentes podem afetar pacientes de formas distintas. Para saber quais os alimentos a serem evitados, é útil manter um diário ou registro diário do que você come, juntamente com as descrições de sintomas. Isto irá ajudá-lo a associar os alimentos problemáticos que pioram os sintomas para que possam ser evitados no futuro. Ele também ajudará o médico ou nutricionista elaborar uma dieta individualizada melhor adaptada às necessidades do paciente

DII não é o mesmo que síndrome do intestino irritável (SII)

Apesar de apresentarem alguns sintomas semelhantes, as duas doenças são diferentes. A SII é muitas vezes episódica, isto é, os sintomas aparecem e depois desaparecem, mas não está associada a qualquer doença identificável do TGI. Por outro lado, a DII é marcada pela inflamação de uma parte do TGI, e é uma doença mais grave. Em ambos os casos, a dieta pode ser importante no alívio dos sintomas.

O que comer durante e após um surto

Durante e após um surto de DII, alimentos leves com baixo teor de resíduos tais como aveia, frango, peru, peixe, ovos cozidos, purê de batatas, arroz ou pão fermentado (sourdough) são bem tolerados. Alimentos picantes ou com alto teor de resíduos, tais como vegetais crus e pipoca, podem ser bastante problemáticos para certas pessoas. Um suplemento nutricional equilibrado pode ser benéfico para ajudar a atender às crescentes necessidades nutricionais. 1,2