Diarreia, dores abdominais e até mesmo perda de apetite, são sinais de que algo não está bem.  Embora pareçam com doenças comuns, esses sintomas podem estar ligados às doenças intestinais.

Conheçam as doenças mais comuns que acometem o intestino:

Doença de Crohn 

Conhecida como doença inflamatória intestinal (DII), a Doença de Crohn (DC) é uma inflamação crônica do trato gastrointestinal que pode acometer desde a região da boca até o ânus, sendo mais comum mais comum na parte final do intestino delgado e no intestino grosso. 2

Sintomas

No momento do diagnóstico, os sintomas são: diarreia (seguida por sangramento), perda de peso e dor abdominal. Já os sinais mais comuns são: febre, palidez, caquexia, massas abdominais, fístulas e fissuras perianais. 3

Tratamento

A Doença de Crohn até o momento não tem cura, contudo o tratamento é essencial e baseia-se na manutenção da remissão, além da terapia nutricional, controle dos sintomas e inflamação, sendo por vezes recomendado o tratamento cirúrgico quando ocorrem complicações da DC, ou quando sintomas graves persistem, mesmo após tratamento intensivo. O tratamento deve ser contínuo. 4

Retocolite Ulcerativa (RCU)

Também é uma DII, a RCU é uma doença crônica inflamatória do cólon (intestino grosso) que frequentemente ocorre nos adolescentes e adultos jovens, mas que também pode ocorrer em outros indivíduos.5

Sintomas

Os pacientes apresentam diarreia, dor abdominal e perda de peso, podendo causar sintomas sistêmicos como: mal‑estar, falta de apetite, emagrecimento e febre.6 O diagnóstico se confirma por exclusão de doenças com causas tratáveis. 7

Tratamento  

O tratamento da Retocolite Ulcerativa é longo e pode ser por toda a vida.  O uso de medicamentos para o controle da inflamação intestinal tem como objetivo melhorar a qualidade de vida do paciente.  7

Síndrome do Intestino Irritável (SII)

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) é um transtorno funcional crônico do tubo digestivo, caracterizado pela presença de dor e/ou desconforto abdominal. 8

Sintomas

Os sintomas da SII são dores recorrentes e desconforto abdominal, que  acontecem pelo menos três dias por mês, nos últimos três meses, e podem estar associados à alteração do hábito intestinal ou à modificação das características das evacuações. 8,9

Tratamento

O objetivo do tratamento da Síndrome do Intestino Irritável é aliviar os sintomas.  O paciente deve passar por mudanças no estilo de vida, que incluem exercícios físicos e modificações dietéticas, além de terapia cognitiva comportamental. 10,11

Constipação  

A Constipação Intestinal ou Prisão de Ventre é provocada principalmente pelo consumo insuficiente de fibras ou consumo inadequado de água. 12

Sintomas

Os sintomas da Constipação são: dificuldade constante ou eventual de eliminação das fezes (defecação), levando o paciente ao desconforto e outros transtornos. 13

Tratamento 

O tratamento consiste no aumento da ingestão de fibras vegetais, como: frutas, legumes e verduras (por exemplo, mamão, tamarindo, laranja, ameixa, manga e folhas em geral), além de cereais integrais como: arroz integral, pão integral, centeio, aveia, sementes de linhaça, farelo de aveia e trigo, entre outros. Também é indispensável ingestão de água (beber cerca de 3 a 4 litros por dia) e a prática de exercícios físicos para o bom funcionamento do intestino. 12,13

Consulte um profissional da saúde para informações adicionais.  Este é um material informativo e não substitui a recomendação de um profissional da saúde.

Referências

  1. I Congresso Brasileiro de Doenças Inflamatórias (GEDIIB); abril de 2018; Campinas (SP).
  2. Head KND, Jurenka JMT. Inflammatory bowel disease part II: Crohn’s Disease-pathophysiology and conventional and alternative treatment options. Alt Med Rev. 2004; 9(4): 360-401.
  3. Stange EF, Travis S P L, Vermeire S, Beglinger C,  Kupcinskas L,  Geboes K. et al. European evidence based consensus on the diagnosis and management of Crohn’s disease: definitions and diagnosis. Gut. 2006 Mar; 55(1): i1–i15.
  4. Biondo-Simões MLP, Mandelli KK, Pereira MAC, Faturi JL. Opções Terapêuticas para Doenças Inflamatórias Intestinais: Revisão. Rev Bras Coloproctologia 2003; 23(3): 172-182.
  5. Viver com a Retocolite Ulcerativa[ Folheto na internet]. Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD) [Acesso em 19 de setembro de 2019]. Disponível em: https://abcd.org.br/wp-content/uploads/2017/06/Folheto-Viver-com-Retocolite-Ulcerativa.pdf
  6. Geier MS, Butler RN, Howarth GS. Inflammatory bowel disease: current insights into pathogenesis and new therapeutic options; probiotics, prebiotics and synbiotics. Int J Food Microbiol. 2007; 115(1):1-11. http://dx.doi.org/10.1016/j.ijfoodmicro.2006.10.006. PMid:17137666
  7. Retocolite Ulcerativa [Folheto na internet]. Sociedade Brasileira de Coloproctologia 2009 [ Acesso em 19 de setembro de 2019]. Disponível em: https://www.sbcp.org.br/pdfs/publico/retocoliteUlcerativa.pdf
  8. Passos MCF. Síndrome do Intestino Irritável - Diagnóstico e Tratamento GED 2012: 31(2):71-74
  9. Andrade VLA , Fonseca TN , Gouveia CL , Kobayashi TG , Raul Guilherme Simões Leite RGS , Mattar RA et al. Dieta restrita de FODMEPs como opção terapêutica na Síndrome do Intestino Irritável: revisão sistemática. GED 2014: 34(1): 34-41
  10.  Saha L. Irritable bowel syndrome: Pathogenesis, diagnosis, treatment, and evidence-based medicine. World J Gastroenterol. 2014; 20:6759-73.
  11. Melchior C, Gourcerol G, De´chelottw P, Leroi A, Ducrotte P. Symptomatic fructose malabsorption in irritable bowel syndrome: A prospective study. United European Gastroenterol J. 2014; 2:131–7.
  12. Ministério da Saúde. Constipação Intestinal. Biblioteca virtual em saúde [ Acesso em 24 de setembro de 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/1292-constipacao-intestinal
  13. Constipação [Folheto na internet]. Sociedade Brasileira De Coloproctologia 2009 [Acesso em 19 de setembro de 2019]. Disponível em: https://www.sbcp.org.br/pdfs/publico/constipacao.pdf

 

Leia mais
Fechar
De acordo com o Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil (GEDIIB), no Brasil, as DIIs atingem 13,25 em cada 100 mil habitantes, sendo 53,83% de Doença de Crohn e 46,16% de Retocolite Ulcerativa.1