A Intolerância à Lactose e a Alergia ao Leite de Vaca não são a mesma coisa, mas muitas vezes, são confundidas. Isso por que os sintomas começam a partir do consumo do leite de vaca.

Mas de forma resumida: a Intolerância à Lactose está ligada ao açúcar (lactose) contido no leite e a Alergia ao Leite de Vaca está ligada à proteína do leite.

O que é Lactose?

A Lactose é um açúcar presente no leite. O ser humano possui uma enzima, chamada lactase, para quebrar esse açúcar e possibilitar a sua absorção.²

O que é Intolerância à Lactose?

A Intolerância à Lactose ocorre quando há a diminuição ou ausência da produção da enzima lactase, que é responsável pela “quebra” desse açúcar, ocasionando a presença de lactose não digerida no intestino.³  Por isso, as pessoas que possuem Intolerância à Lactose acabam tendo diversos sintomas depois que ingerem laticínios e seus derivados.

Sintomas ,

Existe uma grande variedade de sintomas entre os pacientes com Intolerância à Lactose, que vão depender do grau de intolerância, da quantidade de lactose ingerida e do conteúdo geral de nutrientes do alimento.

Os sintomas mais comuns são:

  • Dor e distensão abdominal;
  • Diarreia (ou à vezes constipação);
  • Náuseas ou vômito;
  • Flatulência.

A Intolerância à Lactose também pode ser associada por: ⁵

  • Dores de cabeça e vertigens;
  • Perda de concentração;
  • Dificuldade de memória de curto prazo;
  • Dores musculares e articulares;
  • Cansaço intenso;
  • Alergias diversas;
  • Arritmia cardíaca;
  • Úlceras orais;
  • Dor de garganta;
  • Aumento da frequência de micção.

Recomendações usuais feitas pelos profissionais da saúde:

- Evitar o consumo de alimentos que contenham lactose;

- Ingerir a enzima lactase em conjunto com alimentos lácteos (hoje, existem na versão em pó ou cápsulas);

- Ao optar por alimentos lácteos, priorizar os que possuem informação no rótulo “sem lactose” ou aqueles que possuem naturalmente menor teor deste açúcar, como iogurtes e coalhadas;

 Busque um profissional da saúde para o melhor diagnóstico e adequação da dieta.

 Tabela com o Teor da Lactose dos Alimentos 

Alimento

Tipo

% por peso

Leite

Desnatado

4,8

Semidesnatado

4,7

Integral

4,6

Condensado integral adoçado

12,3

Pó desnatado

52,9

Evaporado, integral

8,5

Cabra

4,4

Humano

7,2

Ovelha

5,1

Creme

Único

2,2

Duplo

1,7

Amargo

2,7

Creme Fraiche

2,1

Imitação de Creme tipo: Elmlea, Tip Top, Dream Topping

2,3 a 6,8

Queijo

Brie/Camembert

Traços

Cheddar

0,1

Requeijão

4,4

Requeijão reduzido de gordura

7,3

Cottage

3,1

Cottage reduzido de gordura

3,3

Cremoso

Traços

Dinamarquês azul

Traços

Stilton

0,1

Edam/gouda

Traços

Feda

1,4

Cabra

0,9

Mussarela

Traços

Parmesão

0,9

Fatias de queijo processado

5,0

Iogurte

Natural

4,7

Fruta

4,0

Bebida Láctea

4,0

Fromage frais natural

4,0

Fromage frais de fruta

3,0

Tzatziki com pepinos

0,3

Sobremesas

Milkshake comum

4,5

Sorvete de baunilha não lácteo

4,8

Sorvete de baunilha lácteo

5,2

Sorvete de chocolate

4,7

Arroz doce

3,9

Creme feito com leite integral

5,2

Mousse de chocolate

3,8

         

 

Alergia à Proteína do Leite de Vaca

Em um contexto geral, a alergia é a resposta anormal do sistema imune, que desencadeia uma reação a substâncias normais e comuns ao ser humano, denominadas alergênicos.⁷

A alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV) ocorre principalmente nos três primeiros anos de vida.⁸. De acordo com a Asma e Allergy Foundation of America e National Institute of Health, o leite de cabra não é considerado uma alternativa segura para quem é alérgico ao leite de vaca. Por isso, não é recomendado substituir o leite de vaca pelo leite de outros mamíferos.⁹

Sintomas:¹º

  • Anafilaxia;
  • Urticária aguda;
  • Chiado no peito e respiração difícil;
  • Rinite;
  • Tosse seca;
  • Vômitos;
  • Edema de laringe.

Tratamento

O tratamento comprovado na Alergia ao Leite de Vaca é a exclusão do leite de vaca e seus derivados da dieta. A substituição para crianças cujas mães não podem amamentar é a introdução das fórmulas com proteínas extensamente hidrolisadas (onde a proteína já está quebrada na forma de peptídeos) ou, em casos mais graves, o uso de fórmulas baseadas em aminoácidos livres.⁸

Consulte um profissional da saúde para informações adicionais.  Este é um material informativo e não substitui a recomendação de um profissional da saúde.

Leia mais
Fechar
A prevalência mundial da Intolerância à Lactose é de aproximadamente 70%. No Brasil, fica em torno de 60%.¹

Referências

Federação Brasileira de Gastroenterologia. O que é Intolerância à Lactose? [Internet].Disponível em: http://www.fbg.org.br/Publicacoes/noticia/detalhe/1262 [Acesso em 24 de outubro de 2019] Barbosa CR, Andreazzi MA. Intolerância à Lactose e suas consequências no metabolismo do cálcio. Revista Saúde e Pesquisa. 2011; 4 (1): 81-6. Mathiús L, Montanholi C, Oliveira LC, Bernardes D, Pires A, Hernandez F. Aspectos atuais da Intolerância à Lactose. Revista Odontológica de Araçatuba. 2016; 37 (1):46-52. Heyman M. Lactose intolerance in infants, children, and adolescents. Pediatrics. 2006. 118;(3): 1279-1286. Mattar R, Mazo D. Intolerância à Lactose: mudança de paradigmas com a biologia molecular. Revista da Associação Médica Brasileira. 2010;56(2):230-236. Vogel F. Genética Humana: Problemas e abordagens. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000;508-511. Barahona  A. et al. Explicação da alergia. Thermo Scientific. 2012. Pereira P, Silva C. Alergia à Proteína do Leite de Vaca em crianças: repercussão da dieta de exclusão e dieta substitutiva sobre o estado nutricional. Pediatria. 2008;30(2): 100-106. Kids With Food Allergies [Home]. Cooking and Baking without Milk Ingredients [Acesso em 4 de dezembro de 2019] . Disponível em: https://www.kidswithfoodallergies.org/page/milk-allergy-recipe-substitutions.aspx Caffarelli C, et al: Cow's milk protein allergy in children: a practical guide. Ital J Pediatr. 2010, 15;36:5.