Ativar o conteúdo para profissionais
Distúrbios Neurológicos

De dores de cabeça recorrentes a epilepsia, lactentes e crianças podem, por vezes, sofrerem de uma desordem neurológica. O diagnóstico correto, o tratamento adequado e mudanças no estilo de vida são passos importantes para ajudar a criança a sentir-se melhor.

Distúrbios neurológicos infantis podem ser muito preocupantes. Um grande número de doenças, causadas por vários fatores e distúrbios neurológicos, afeta o cérebro de uma criança em crescimento. Alguns exemplos de doenças neurológicas mais comuns são as dores de cabeça persistentes ou enxaquecas, problemas de desenvolvimento e motor, acidentes vasculares cerebrais, síndrome de Tourette, paralisia cerebral e autismo. Algumas dessas doenças são causadas por fatores genéticos, outras por lesões ou doenças e outras têm causas ainda desconhecidas.1 *

Uma razão pela qual os distúrbios neurológicos na infância são tão preocupantes decorre do fato que o sistema nervoso de uma criança, seu cérebro e medula espinhal ainda estão em desenvolvimento. E os transtornos mais comuns afetam milhares de crianças. 2 Felizmente, com diagnóstico e tratamento adequados, muitas dessas doenças podem ser tratadas com sucesso para que a criança possa crescer de maneira adequada e atingir a idade adulta.

Embora o diagnóstico e tratamento seja específico para cada doença, um fator comum a todas elas é tratar essas doenças neurológicas e outras doenças com uma nutrição adequada. Por exemplo, no caso de paralisia cerebral, uma doença que causa dano cerebral e prejudica o desenvolvimento motor adequado, uma avaliação nutricional faz-se necessária e os meios de ingestão são importantes, pois a alimentação normal pode ser difícil.3

A Nestlé Health Science está ativamente envolvida na pesquisa e desenvolvimento de Soluções Nutricionais para auxiliar nas situações clínicas, a fim de melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Consulte um profissional de saúde para informações adicionais.

Referências:

  1. http://www.hopkinsmedicine.org/neurology_neurosurgery/centers_clinics/pediatric-neurology/conditions/index.html. Acessado em Dezembro 2014.
  2. http://www.neurology.org/content/68/5/326; http://members.sirweb.org/members/misc/Hirtz.pdf . Acessado em Dezembro 2014.
  3. http://www.medicine.virginia.edu/clinical/departments/medicine/divisions/digestive-health/nutrition-support-team/nutrition-articles/WittenbrookArticle.pdf. Acessado em Dezembro 2014.

* A lista de sintomas não é completa, podendo variar de acordo com o paciente.

Leia mais
Fechar
As crianças já nascem com a maiorida das células cerebrais que vão ter e usar durante o resto de suas vidas.
A produção de conexões entre as células cerebrais, chamadas neurônios, atinge a sua taxa mais rápida nos primeiros anos de vida.


http://www.urbanchildinstitute.org/why-0-3/baby-and-brain

Atividades para o cérebro

É provável que o ambiente no qual bebês e crianças pequenas crescem, especialmente durante os seus primeiros anos, tenha um forte impacto sobre a forma como seu cérebro se desenvolve para o resto de suas vidas. Coisas simples como falar e ler para uma criança podem ajudar a estimular o desenvolvimento de seu cérebro.

Como diagnosticar doenças neurológicas

Problemas cerebrais em crianças pequenas podem ser especialmente difíceis de serem diagnosticados, isso porque a criança tem mais dificuldade de explicar claramente os sintomas e sentimentos que podem apontar para uma causa provável do problema. Felizmente, os médicos especializados em neurologia pediátrica são bem treinados para explorar todas as razões possíveis e sintomas indicativos de algum distúrbio neurológico.

Nutrição e cérebro

O cérebro adulto usa cerca de 20% da taxa metabólica média de uma pessoa em repouso e em crianças, essa taxa é ainda maior. A quantidade de energia que seu cérebro usa aumenta do nascimento até pouco antes da puberdade, atingindo um pico de cerca de 43%. Portanto, receber nutrição suficiente para abastecer o consumo de energia crescente do cérebro é importante durante o período de lactação e infância.

https://www.sciencenews.org/blog/growth-curve/hungry-brain-slurps-kid%e2%80%99s-energy

 Acessado em Dezembro de 2014