Ativar o conteúdo para profissionais
Falha de Crescimento

 Crianças são diagnosticadas com falha de crescimento, ou crescimento hesitante, quando o seu peso ou taxa de ganho de peso é significativamente abaixo da média para sua idade e sexo. 1,2

 O crescimento nas fases iniciais da vida pode ser muito rápido, no entanto, em alguns casos, as crianças não conseguem atingir os padrões de crescimento. Muitas crianças conseguirão recuperar-se naturalmente e atingir seu potencial de crescimento normal, mas aquelas que não conseguem fazê-lo são consideradas como portadores de falha de crescimento (FC) ou de crescimento hesitante. 3 Embora o termo "falha de crescimento" pareça extremamente assustador, a FC é um problema comum, respondendo por 1 a 5% das internações pediátricas em crianças com menos de dois anos de idade.4

A FC durante a infância é causada por má absorção, má nutrição ou subnutrição, decorrentes de uma ampla gama de diferentes doenças ou distúrbios, como por exemplo, alterações cromossômicas, problemas neurológicos, infecções ou problemas digestivos, bem como fatores ambientais, tais como maus hábitos alimentares ou problemas familiares. 1-5

O gerenciamento dessa falta de nutrição adequada é tão importante quanto o tratamento do próprio problema subjacente, uma vez que entregar os níveis adequados de nutrientes o mais rápido possível pode produzir um melhor desenvolvimento físico e mental. Em todos os casos de FC, uma dieta com alto teor calórico é recomendada para que as crianças possam recuperar o crescimento e ganho de peso. Em bebês, frequentemente, isso pode ser alcançado simplesmente pela amamentação; no caso de bebês alimentados por outras formas, ou crianças maiores, outras técnicas ou fórmulas especializadas podem ser necessárias. 2, 6

A Nestlé Health Science está ativamente envolvida na pesquisa e desenvolvimento de Soluções Nutricionais para auxiliar nas situações clínicas, a fim de melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Consulte um profissional de saúde para informações adicionais.

Referências:

  1. http://www.hopkinschildrens.org/Failure-to-Thrive.aspx. Acessado em Dezembro de 2014
  2. http://www.aafp.org/afp/2003/0901/p879.html. Acessado em Dezembro de 2014
  3. http://kidshealth.org/parent/medical/endocrine/failure_thrive.html#. Acessado em Dezembro de 2014
  4. http://ije.oxfordjournals.org/content/33/4/847.full. Acessado em Dezembro de 2014
  5. http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000991.htm. Acessado em Dezembro de 2014
  6. http://www.babycentre.co.uk/a1621/failure-to-thrive. Acessado em Dezembro de 2014
Leia mais
Fechar

Nos 2 primeiros anos de vida, aprox. 25% das crianças apresentarão alterações em seu peso e altura de mais de 25 pontos percentuais e permanecerão nesse percentil; isto não deve ser considerado como falha de crescimento.


http://www.aafp.org/afp/2003/0901/p879.html. Acessado em Dezembro 2014

Aumente o consumo de calorias

Bebês e crianças que apresentam falha de crescimento (FC) necessitam de 150% da ingestão calórica diária recomendada para o seu peso esperado (não real). Em crianças, isso pode ser feito aumentando a concentração da fórmula e adicionando de cereal de arroz aos alimentos pastosos. Em crianças pequenas, que estão começando a andar, a adição de gorduras, como queijo, manteiga ou manteiga de amendoim para ao alimentos comuns da criança pode ajudar.


1- http://www.aafp.org/afp/2003/0901/p879.html.              

 Acessado em Dezembro de 2014.

Mantenha um diário

Como os bebês precisam de quase três vezes a quantidade de energia que os adultos (em calorias por kg), é fácil entender como as crianças podem apresentar déficit de crescimento tão depressa. Manter um diário sobre tipo e quantidade de alimento que a criança come ao longo de um período de três dias é uma maneira de quantificar sua ingestão calórica.


1- http://www.aafp.org/afp/2003/0901/p879.html.

Acessado em Dezembro de 2014.

Limite a ingestão de sucos 1,2

Em lactentes e crianças maiores com falha de crescimento (FC), o suco de frutas deve ser limitado entre 170 e 340 ml. A grande ingestão de sucos pode contribuir para o crescimento ruim, diminuindo o apetite da criança, e, portanto, o número de calorias ingeridas.

 

1- http://www.aafp.org/afp/2003/0901/p879.html

Acessado em Dezembro de 2014

2- http://www.mayoclinic.org/healthy-living/childrens-health/expert-   answers/fruit-juice/faq-20058024.

 

Acessado em Dezembro de 2014