Ativar o conteúdo para profissionais
Epilepsia

Convulsões podem ser alarmantes, mas muitas pessoas convivem com epilepsia ou crises recorrentes, e conseguem gerenciá-las fazendo uso de remédios, bem como com modificações no estilo de vida e na dieta.

O cérebro é um órgão complexo. Um fator interessante e importante sobre o cérebro é que as várias regiões e as células dele se comunicam por meio de uma combinação de sinais químicos e elétricos. Esses sinais podem ser modificados ou interrompidos de várias maneiras. Uma doença relativamente comum que afeta os sinais do cérebro é conhecida como epilepsia, que é caracterizada pela presença de convulsões recorrentes*. 1

Uma convulsão é uma atividade cerebral repentina e anormal. Os sintomas de convulsões incluem a perda de consciência ou alterações sensórias e emocionais inexplicáveis, perda do controle motor ou tremores, rigidez muscular e convulsões por todo o corpo.* Convulsões podem ocorrer em uma única região do cérebro (focal) ou podem afetar o cérebro inteiro (generalizada). A epilepsia é diagnosticada quando a pessoa já teve convulsões, apresenta a probabilidade que estas se repitam, e quando as crises não são causadas por um problema médico claro e transitório. 2

Aproximadamente, 65 milhões de pessoas são afetadas pela epilepsia em todo o mundo. Existem muitas razões para o desenvolvimento da epilepsia, mas a mais comum delas são as alterações no cérebro. Fatores genéticos são considerados no caso das formas hereditárias de epilepsia, nas quais a tendência para convulsões é familiar. Outras razões para a epilepsia incluem infecções e lesões que afetem o cérebro e o desenvolvimento de alterações na estrutura cerebral. 1,2

A maioria dos pacientes com epilepsia responde a fármacos convencionas, mas uma parte deles é refratária. Além dos medicamentos, uma estratégia de tratamento é conhecida como a dieta cetogênica, que consiste de uma dieta rica em gorduras e pobre em carboidratos. A Nestlé Health Science dedica-se a estudar o papel da nutrição nos transtornos que afetam o cérebro, como a epilepsia, a fim de ajudar os pacientes e seus familiares a melhor gerenciar esta condição.

A Nestlé Health Science está ativamente envolvida na pesquisa e desenvolvimento de Soluções Nutricionais para auxiliar nas situações clínicas, a fim de melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Consulte um profissional de saúde para informações adicionais.

Referências:

  1. http://www.epilepsy.com/start-here/about-epilepsy-basics. Acessado em Dezembro de 2014
  2. http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/seizures.html. Acessado em Dezembro em 2014

* A lista de sintomas não está completa, podendo variar de acordo com o paciente.

Leia mais
Fechar
A dieta rica em gordura cetogênica (rica em gorduras e pobre em carboidratos) apresenta uma redução de até 50% na ocorrência de convulsões em estudos clínicosA produção de conexões entre as células cerebrais, chamadas neurônios, atinge a sua taxa mais rápida nos primeiros anos de vida.


http://www.epilepsy.com/learn/treating-seizures-and-epilepsy/dietary-therapies/ketogenic-diet Acessado em Dezembro de 2014

A dieta cetogênica: Uma dieta rica em gorduras e pobre em carboidratos

A dieta cetogênica para controle de epilepsia é, geralmente, administrada em crianças, sob a supervisão de um médico e nutricionista. Esta dieta é frequentemente utilizada nos casos em que somente os fármacos não conseguem controlar as crises.

A dieta cetogênica: Uma dieta rica em gorduras e pobre em carboidratos

A dieta cetogênica para controle de epilepsia é, geralmente, administrada em crianças, sob a supervisão de um médico e nutricionista. Esta dieta é frequentemente utilizada nos casos em que somente os fármacos não conseguem controlar as crises.

Saúde, nutrição e estilo de vida

Manter-se ativo, limitando a ingestão de álcool e ter consciência das possíveis interações medicamentosas entre fármacos usados para epilepsia e outros medicamentos são fatores importantes na gestão da epilepsia.